Você está aqui: Entrada / Catálogo / PROMOÇÃO DE NATAL

PROMOÇÃO DE NATAL

Memórias do Fado": coleção de intérpretes masculinos.

Este presente consiste em 3 livros-cds de capa dura, incluídos numa caixa de cortiça, contendo registos históricos extraídos de discos de 78 rotações. As gravações foram todas registadas nas primeiras décadas do século XX, transcritas e remasterizadas.

A coleção “Intérpretes masculinos” inclui temas de Fernando Farinha, Armandinho e um conjunto de Vozes e Sons de Coimbra.

NAT17.4

30,00 €

ARMANDINHO:

A guitarra portuguesa está, há muito, ligada ao imaginário da música popular portuguesa. Aos
guitarristas coube a primazia de compor novas músicas, de descobrir e ensaiar novos valores e
de dirigir o panorama estético das canções urbanas.
Com este disco, propomos aos ouvintes a
audição daquele que por todos é considerado como um dos maiores vultos na história da guitarra portuguesa e do fado.
Armando Augusto Freire, mais conhecido pelo diminutivo e nome artístico de Armandinho, nasceu em 11 de outubro de 1891 e acompanhou em clubes, festas de teatro, casas de fados, e em todo o género de ocasiões todos os grandes nomes do fado e do teatro do seu tempo, entre os quais Amália Rodrigues; Alfredo Marceneiro, que estreou o seu Fado do Estoril; Joaquim Campos; Maria do Carmo (1894 - 1964); José Porfírio (1909 - 1940); Renato Varela (1909 - 1946); Maria Emília Ferreira (1896 - 1941); entre outros. Alguns dos seus fados e muitas variações de sua autoria fazem ainda parte essencial do reportório vulgar do género nos dias correntes, enaltecendo-se a sua rara qualidade intemporal.
FERNANDO FARINHA:
É uma das vozes mais emblemáticas da história do fado.
Começou a cantar muito jovem e ficou para sempre conhecido como “o miúdo da Bica”. Com
apenas seis anos de idade, Fernando Farinha já cantava para os seus colegas da escola, e para
os vizinhos, que se deliciavam a ouvi-lo, e gostava de imitar Filipe Pinto e Alfredo Marceneiro, no jeito e no gesto, dois grandes nomes do Fado daquela época. Gravou mesmo o primeiro disco
com apenas 11 anos. Ao ouvirmos as suas gravações, editadas no primeiro quartel do século XX,
e inseridas neste CD, logo nos apercebemos das qualidades deste grande intérprete de fado,
cuja voz se manteve com o timbre e jeito muito pessoal que sempre o caracterizaram, qualidades que o povo português sempre reconheceu com calorosos aplausos, estima e admiração.´\
VOZES E SONS DE COIMBRA:
A Canção de Coimbra é um género artístico expressivo surgido no século XIX e consolidado
no século XX, que se encontra profundamente inscrito no imaginário académico e popular da
cidade do Mondego. Nos meios estudantis, materializa-se através de ritos como a serenata, de
recitais de palco e salão e de prestações vocais e instrumentais. Está associada a uma paisagem
sonora fortemente delimitada por vocalizações ariosas e pelos sons da Guitarra de Coimbra.
Os cinco performers seleccionados neste CD – António Menano, Paradela de Oliveira, Lucas
Junot, António Batoque e Edmundo Bettencourt - constituem apenas uma pequena amostra
quando comparados com o elevado número de artistas juniores e seniores que se mantinha em
actividade na “galáxia sonora coimbrã” dos loucos anos vinte, tendo muitos deles também protagonizado
registos fonográficos que consideramos de interesse relevante para a constituição
de um arquivo sonoro português.