Você está aqui: Entrada / Catálogo / PROMOÇÃO DE NATAL

PROMOÇÃO DE NATAL

Memórias do Fado": coleção de intérpretes femininas

Este presente consiste em 3 livros-cds de capa dura, incluídos numa caixa de cortiça, contendo registos históricos extraídos de discos de 78 rotações. As gravações foram todas registadas nas primeiras décadas do século XX, transcritas e remasterizadas.

A coleção “Intérpretes femininas” inclui temas de Hermínia Silva, Ercília Costa e as Cantadeiras de Lisboa.

NAT17.3

30,00 €

HERMÍNIA SILVA

É indiscutível que Hermínia Silva foi um ídolo do povo, que a elegeu, a amou e venerou, e ela
correspondeu. Foi uma fadista bem sucedida no teatro, onde foi muitas vezes cabeça de cartaz,
arrebatou as plateias com a sua actuação cómica, os seus apartes de um espírito jocoso, o
pitoresco da linguagem que utilizava em cena, nas revistas em que participou e em que cantou
fados que mereceram o agrado do público.
Teve, ao longo da sua carreira, muitas e variadas propostas para se deslocar ao estrangeiro, mas
teve sempre muita relutância em sair de Portugal. Pela mão de Beatriz Costa, foi ao Brasil, onde
teve um êxito estrondoso, mas não quis ficar muito tempo com saudades do filho e de Lisboa.
ERCÍLIA COSTA

Ercília Costa foi a primeira grande estrela do Fado, a mais internacional dos anos 30 do século
XX.
Participou nas primeiras emissões de Rádio que decorreram no CT1AA, de Abílio Nunes dos Santos Júnior, amador português de Rádio, situado nos Armazéns do Chiado, em Lisboa, com início em 1925. Ercília, nesse ano, já era conhecida a nível nacional. Os seus inúmeros admiradores atribuíram-lhe o cognome de “A Santa do Fado”, pela sua maneira pessoal e pela sua aparência em palco, já que cantava sempre de mãos postas, como que a fazer uma prece.
A carreira de Ercília, como cantadeira de Fado no Teatro, iniciou-se em 1927, no Teatro da Trindade. Ali cantou em dueto com Alberto Reis.
AS CANTADEIRAS DE LISBOA

É sobretudo na década de 30 que o Fado atinge grande popularidade, através do decisivo contributo de cantadores e cantadeiras que o souberam dignificar e tão bem interpretar. As cantadeiras de Lisboa deixaram os seus nomes gravados na História do Fado, muitas com brilhantes carreiras, autênticos ídolos para inúmeros admiradores, conseguindo aumentar substancialmente o número dos apreciadores de Fado. Aqui retratamos alguma delas, destacando-se Dina Tereza, Maria Silva (Mariasinha), Ermelinda Vitória, Maria Emília Ferreira, Maria do Carmo, Celestina Luísa, Adelina Fernandes, Maria do Carmo Torres e Madalena de Melo.